Abandonar o Windows 8.1 para ficar com o Windows 10 será que vai valer a pena para seu notebook?

Windows dezMal começamos a nos habituar com o Windows 8.1 e a Microsoft já está lançando um outro sistema operacional: O Windows 10. Note que a Microsoft pulou a nona edição, qual o motivo desse salto? Será que valerá a pena fazer a troca? E será que o novo sistema trará mais celeridade para seu notebook/desktop? Será que virá com melhorias ou novas funções realmente úteis aos usuários? Ou será que trará apenas uma mudança de layout? Para mim, pessoalmente, qualquer mudança no sistema operacional só valerá a pena se atender a pelo menos esses quesitos. E você? O que gostaria de encontrar nessa nova versão do Windows?

Em geral, consumidores são pessoas sedentas por novidades e, muitas vezes, seguem esta regra de forma quase irracional, sem parar para refletir se realmente precisam daquilo que lhe apresentam como novidade, se realmente aquele objeto irá agregar algum valor ou suprir uma necessidade em sua vida pessoal ou profissional. Então, que tal verificarmos, nesta resenha, se a novidade da Microsoft, o Windows 10, lhe trará algo que seja realmente novo e útil no uso de nossos computadores pessoais.

Uma boa novidade que muita gente vai adorar, é o fato de que a Microsoft permitirá que a atualização para o Windows 10 seja gratuita, pelo menos para quem tiver computador pessoal operando nos sistemas Windows 7, 8 ou 8.1, o que será bom para muitos usuários, especialmente aqueles que ficaram irritados com as inovações autoritárias da Microsoft, a qual não ouviu as opiniões/sugestões de seus usuários na elaboração de tais sistemas, mas que se redimiu agora, durante o desenvolvimento do Windows 10. Essa gratuidade possivelmente se trata de uma estratégia de Marketing da Microsoft para conquistar e fidelizar usuários veteranos e principiantes.

Trata-se de um plano que pode não trazer um bom retorno imediato, mas no longo prazo pode se tornar em fonte estável de receitas para esta companhia. Mas, em verdade, não se trata somente de um plano de Marketing, mas é também uma tentativa da empresa de reparar seus erros para com os usuários de seus sistemas, em meio a tantas outras alternativas disponíveis no mercado, como o Linux e Android, além do pouco popular Mac OS, dentre outros.

A atualização opcional e gratuita dos sistemas Windows 7, 8 e 8.1 para o Windows 10 está marcada para o dia 29 de julho deste ano (2015), deve atingir inicialmente cerca de 1 bilhão de aparelhos nos próximos meses e estará disponível durante um ano, após os quais deixará de ser gratuita.

windows_10_menu-iniciarDentre as principais mudanças e novidades do Windows 10, podemos destacar o retorno do menu iniciar; o surgimento de um novo navegador de internet: o Microsoft Edge, o qual substituirá o Internet Explorer e virá com mais eficiência de desempenho; a integração com os principais sistemas (iOS, Android e Windows Phone) de plataformas móveis, como os smartphones e tablets; a interface adaptável ao tipo de dispositivo que você utiliza, incluindo, principalmente, modelos de notebook 2 em1 e conversíveis; a autenticação por meio de métodos biométricos e, o que é mais importante; terá tecnologia gráfica DirectX 12, a qual é suficiente para incrementar o desempenho do computador pessoal (notebook/desktop) em até 50%, o que é uma excelente notícia para a generalidade dos usuários, seja para quem gosta de jogar, assistir filmes e séries ou para quem quer fazer trabalhos escolares ou profissionais.

Além disso, o sistema permanece com os mesmos requisitos básicos de hardware utilizados nos sistemas Windows 7, 8 e 8.1, portanto o usuário não deve se preocupar tanto em adquirir uma máquina robusta, apesar de que é sempre recomendável adquirir um computador pessoal com configuração superior a mínima indicada para o sistema. Para a versão de 32 bits, essa configuração é constituída por um processador de 1 GHz, 1 GB de memória RAM e 16 GB de memória para armazenamento em disco rígido. Para a versão de 64 bits, há um requerimento dobrado de memória RAM, enquanto que no disco rígido, o requisito sobe para 20 GB, além de placa de vídeo com directX 9 ou posterior, driver WDDM 1.0 e resolução de tela de 1024 x 600 pixels, suplementam tal resolução.

A permanência dos requisitos básicos de sistemas anteriores no Windows 10 é consequência dos empreendimentos que a Microsoft vem desenvolvendo para criar um sistema operacional universal, que seja utilizável por todos os dispositivos móveis, independentemente de seu tamanho e tecnologia de tela. Este empenho empresarial podemos observar, claramente, no Windows 8.1, cuja tela inicial, constituída de blocos dinâmicos, é uma adaptação para utilização de telas sensíveis ao toque, as famosas telas touchscreen, tecnologia muito comum em diversos tipos de dispositivos móveis.

Microsoft-LogoE este desenvolvimento de um sistema universal talvez seja outra das possíveis razões da atual gratuidade disponibilizada para usuários do Windows 8.1, como forma inicial de divulgação de tal sistema, uma vez que esse é o objetivo principal da Microsoft, de modo que possa manter sua hegemonia em desenvolvimento de sistemas operacionais mediante a ampla extensão de uso, além de desktops, para os demais tipos de dispositivos móveis.

Cumpre observar também que, de acordo com a Microsoft, esta gratuidade não poderá de modo nenhum ser estendida a usuários de outros sistemas anteriores, como o XP e Vista, mas somente para aqueles que já se comprometeram de avaliar continuamente o novo sistema, pessoas que são chamadas de beta tester, no entanto parece que os usuários de tais antigos sistemas parecem estar contentes com o que possuem, apesar de já ter encerrado o suporte técnico para um deles, o XP.

E já que falamos de pessoas contentes com antigos sistemas da Microsoft, cumpre lembrar também o oposto, que é o fato de que muitos usuários do Windows 8 e 8.1 ficaram descontentes e furiosos com as muitas mudanças que foram introduzidas neles pela Microsoft e esse descontentamento se devia principalmente ao fato de que tais sistemas foram desenvolvidos à revelia da participação de seus bilhões de usuários dispersos pelos quatro cantos do mundo, fato que foi corrigido pela empresa por ocasião do desenvolvimento do Windows 10, no qual a empresa escutou a opinião de milhares de usuários.

Este projeto ambicioso de lançar um sistema operacional unificador dos dispositivos móveis e desktops é, sem sombra de dúvidas, uma grande sacada da Microsoft que vai revolucionar a história evolutiva da TI, e colocar a empresa possivelmente no mais elevado patamar tecnológico. Apesar de que a empresa ter, inicialmente, incorrido no erro, como já foi dito, de não dar ouvidos aos seus usuários, acostumada que estava a ditar novas tecnologias, sem ouvir as necessidades de tais usuários, criando insatisfação entre consumidores, os quais estavam despreparados para receber a surpreendente inovação, e até porque, durante muitos anos, se acostumaram com recursos e modos usuais que se tornaram muito familiares, como o menu iniciar, que, como já dissemos, está de volta.

Xbox-s-controllerMas para quem gosta de trabalhar ou se divertir com uma máquina veloz e, principalmente, adquirida com dispêndio de não expressivos recursos monetários, o sistema operacional Windows 10 será, certamente, muito bem-vindo, mesmo que em detrimento de um layout pouco atraente, como o que apresenta o Office 2013. E não somente o layout, há outras perdas que, para muitos, pode ser muito significativa, como o fato de que não haverá programa para leitura de DVDs, o que implica dizer que você não poderá assistir filmes gravados em discos digitais compactos, entretanto, será possível assisti-los por meio de streaming, mediante uma companhia fornecedora ou um site de TV online.

Outra perda bastante representativa é o fato de que deixará de vir com o software da central de mídia (Windows Media Center), mas isto pode ser relativamente compensado pela integração do novo sistema com o Xbox one, console de videogame produzida pela Microsoft, pelo menos se os videogames fizerem parte de seu cotidiano; além de que esta integração permitirá que você faça streaming de jogos digitais, promova jogos multiplayers, que também serão possíveis em uso multidispositivo (console, notebook, tablet, etc.), além da possibilidade de gravar e publicar vídeos de jogos na rede da Microsoft através do XboxLive. São perdas que se entrelaçam com as vantagens de um sistema unificador.

Por outro lado, é bom lembrar que softwares ou quaisquer outros produtos em tecnologia de informação e comunicação (TIC), frequentemente costumam oferecer problemas e riscos a seus usuários. No caso de sistemas operacionais, como no Windows 10, podem se manifestar na forma de bugs irritantes, pontos de incompatibilidade com drivers, vulnerabilidade na segurança, não abertura de aplicativos e arquivos e muitos outros, embora seja possível que a ocorrência destes eventos seja pequena, mínima ou mesmo nula e há quem advogue esta última possibilidade, no caso do Windows 10.

Vale a pena também lembrar que atualizações de segurança do Vista, Windows 7 e Windows 8/8.1 continuarão disponíveis durante vários anos e, se você é daqueles que vai preferir esperar para ver o que acontece, está é, sem dúvida, uma ótima notícia. As atualizações de segurança do Vista estão previstas para encerrar apenas em abril de 2017, enquanto que para o Windows 7, a previsão é para até janeiro de 2020, já para o Windows 8/8.1 é para janeiro de 2023.

Tardiamente 2Entretanto, o que é mais prudente recomendar é que esta migração seja feita o mais tardiamente possível, para não se expor a tais riscos, evidentemente, como também para não perder a oportunidade de atualização, a que você tem direito, pois o Windows 10, realmente, tem muitas chances de agradar bilhões de pessoas, uma vez que a Microsoft, desta vez, ouviu seus usuários, pois recebeu mais de 800.000 sugestões sobre cerca de 200.000 especificidades, as quais, de acordo com a Microsoft foram todas examinadas cuidadosamente.

E, para melhor esclarecer, vamos responder a algumas perguntas feitas no início deste texto. Por que a Microsoft pulou a nona versão? Eu pessoalmente acho que este salto na versão é devido ao fato de que a Microsoft cogita em não desenvolver mais outra versão de sistema operacional, sendo esta a última, ao menos em princípio, porque, doravante só haverá atualizações do sistema operacional universal e unificador, o Windows 10, ou seja, o que a Microsoft quer dizer, em termos de Marketing, é que seu sistema é nota 10, pois é exatamente esta a ideia que o projeto do sistema vai passar para muitos consumidores, assim que o conhecerem, e isto se realmente corresponder às expectativas da ampla maioria de usuários, cujas probabilidades são muito amplas. As demais perguntas estão respondidas ao longo do texto: haverá melhorias, acréscimo de funções realmente úteis, maior desempenho de máquina e maior velocidade no acesso à internet por meio de novo aplicativo navegador, o Microsoft Edge.

Portanto, a conclusão à qual chegamos é que sim, vale a pena fazer a atualização do Windows 8/8.1 para o Windows 10, especialmente por se tratar de um sistema operacional universal, de amplo uso, para desktops, notebooks de diversos formatos e demais dispositivos móveis, como também porque promete ser mais veloz que as versões anteriores e apresentar também o navegador de internet Microsoft Edge, que igualmente promete ser mais veloz que o Internet Explorer, além de vários outros recursos que vão fazer a alegria de muitos usuários. Entretanto, é preciso fazer esta migração com muito cuidado, já que se trata de uma nova tecnologia; e o recomendável é fazê-la o mais tardiamente possível, porém de modo nenhum arriscar-se a perdê-la.

Fonte: Internet